Sadyr Japarov
Presidente do Quirguistão (interino)
Período 15 de outubro de 2020 a Atualidade
Antecessor Sooronbay Jeenbekov
Primeiro-ministro do Quirguistão
Período 6 de Outubro de 2020 a Atualidade
Antecessor Kubatbek Boronov
Dados pessoais
Nome completo Sadyr Nurgozhoevich Japarov
Nascimento 6 de dezembro de 1968 (51 anos)
Keng-Suu, Distrito de Tüp, Issyk-Kul, RSS Quirguiz, URSS
Nacionalidade Quirguiz
Partido Mekenchil

Ata-Zhurt (até 2010)

Sadyr Nurgozhoevich Japarov (Quirguiz: Садыр Нургожоевич Жапаров ; nascido em 6 de dezembro de 1968) é um político do Quirguistão, atual primeiro ministro, desde 6 de outubro de 2020, e presidente interino do Quirguistão, desde 15 de outubro de 2020, após Sooronbay Jeenbekov renunciar ao cargo em meio a onda de protestos violentos no país.

Infância e educaçãoEditar

Japarov nasceu em Keng-Suu, uma vila no distrito de Tüp da região de Issyk-Kul. Depois de terminar o ensino médio em 1986, ele ingressou na Academia Nacional de Cultura Física e Esporte do Quirguistão. Em 1987, Japarov foi convocado para o Exército Soviético, onde serviu por dois anos em Novosibirsk como comandante de uma divisão de telecomunicações. De 1989 a 1991, Japarov continuou sua educação na academia. Em 2006, Japarov se formou em direito na Universidade Eslava do Quirguistão-Russo.

Carreira política inicialEditar

Japarov começou sua carreira política após a Revolução das Tulipas em 2005. Em março de 2005, foi eleito membro do Conselho Supremo pelo distrito eleitoral de Tyup, onde chefiou a facção parlamentar de Kelechek. Ele era um apoiador do presidente Kurmanbek Bakiyev. Em 2006, Japarov foi membro da Comissão Estadual de Premiação. Em 2007, ele foi Vice-Presidente da Comissão de Anistia.

Nas eleições parlamentares de 2007, ele participou das listas do partido pró-presidencial Ak Jol, que conquistou a maioria das cadeiras no parlamento, mas passou a trabalhar como assessor do presidente. De 2008 a 2010, Japarov trabalhou como representante autorizado da Agência Nacional de Prevenção da Corrupção. Em 2010, o presidente Bakiyev foi deposto na Revolução do Quirguistão de 2010. Como resultado dos confrontos interétnicos que ocorreram logo em Osh e Jalal-Abad, Japarov e seus associados tomaram parte ativa, que segundo suas próprias declarações, tentaram evitar confrontos. No entanto, eles foram acusados ​​por oponentes de apoiar os nacionalistas quirguizes.

Nas eleições de outubro de 2010, ele foi reeleito como membro do Conselho Supremo na lista do partido de Ata-Zhurt, liderada por Kamchybek Tashiev, que conquistou a maioria dos assentos. A partir daí, ele se tornou o presidente da Comissão de Assuntos Judiciais e Jurídicos. Desde 2012, Japarov defende a nacionalização da mina de ouro Kumtor, localizada em sua região natal de Issyk-Kul, e acusou a empresa de gestão de violações ambientais e corrupção. Nesse sentido, ele ganhou popularidade entre seus conterrâneos.

Exílio e prisãoEditar

Durante uma das manifestações para a nacionalização de Kumtor no outono de 2012, os manifestantes tentaram assumir o controle da Casa Branca em Bishkek. Tashiev e Japarov foram ambos acusados ​​de acordo com o Artigo 295 do Código Penal da República do Quirguistão, "apreensão forçada do poder ou retenção forçada do poder". Em março de 2013, o Tribunal Distrital de Pervomaisky de Bishkek os considerou culpados e os condenou a um ano e seis meses de prisão. Mas em junho de 2013, o Tribunal da Cidade de Bishkek absolveu os políticos e os libertou no tribunal.

Em 27 de junho de 2013, durante os protestos contra Kumtor em Karakol, os manifestantes tentaram sequestrar o akim da região Emilbek Kaptagaev e levá-lo como refém. As autoridades quirguizes acusaram Japarov e Kubanychbek Kadyrov de organizar o plano. Os líderes do protesto foram detidos, mas Japarov, que negou seu envolvimento, fugiu do Quirguistão, onde viveu por algum tempo em Chipre. Em 2017, Japarov tentou retornar ao Quirguistão. Em 25 de março de 2017, ele foi detido na fronteira do Quirguistão-Cazaquistão. No caso de suposta tentativa de sequestro de Emilbek Kaptagaev como refém, ele foi condenado a 11 anos e 6 meses de prisão.

Primeiro Ministro do QuirguistãoEditar

Em 5 de outubro de 2020, manifestações em massa começaram no Quirguistão contra os resultados das eleições parlamentares. Na manhã de 6 de outubro, os manifestantes liderados por Kamchybek Tashiev libertaram Japarov e o levaram para a praça Ala-Too em Bishkek, onde ele fez um discurso.

Na noite de 6 de outubro, o MP do Hotel Dostuk aprovou a nomeação de Japarov para o cargo de PM. No entanto, outro concorrente ao cargo do partido Ata-Meken, Tilek Toktogaziev, disse em um comício perto da Casa do Governo que era o chefe legítimo do governo, uma vez que foi eleito para este cargo em uma reunião do Conselho de Coordenação estabelecido por os líderes dos partidos da oposição. Toktogaziev considerou a nomeação de Japarov ilegal, uma vez que os membros a aprovaram, estavam sob pressão de várias centenas de apoiadores de Japarov, que se reuniram perto do hotel Dostuk durante uma reunião de parlamentares. Os oponentes de Japarov também apontaram a ausência de quorum parlamentar e a violação do procedimento para sua eleição.

Em 13 de outubro, o presidente Sooronbay Jeenbekov rejeitou a nomeação de Japarov para ser o PM devido à votação por procuração do MP que ocorreu durante a primeira votação. Ele pediu ao Parlamento que votasse novamente a favor da nomeação que ocorreu no dia seguinte, em 14 de outubro, quando Japarov foi nomeado novamente para o cargo. Jeenbekov aprovou a nomeação de Japarov, mas rejeitou suas exigências de renunciar até que uma nova eleição parlamentar fosse realizada. No entanto, no dia seguinte, 15 de outubro, o presidente Jeenbekov renunciou ao cargo, o que fez Japarov se declarar como presidente interino, apesar da Constituição do Quirguistão declarar que o Presidente do Parlamento sucede o papel que, por lei, tornou Kanat Isayev o presidente interino. Isayev, no entanto, recusou-se a assumir o papel de Jeenbekov, o que resultou em Japarov se tornando o presidente interino.

Vida pessoalEditar

Japarov é casado e tem quatro filhos.

Ver tambémEditar

ReferênciasEditar

  1. "Kyrgyz parliament approves Japarov's nomination for acting Prime Minister". AKIpress news agency. 6 de outubro de 2020. Acessado em 6 de outubro de 2020.
  2. "Kyrgyzstan election: Protesters storm parliament over vote-rigging claims". BBC News. 06-10-2020. Recuperado em 2020-10-14.
  3. https://br.sputniknews.com/asia_oceania/2020101516229340-premie-quirguiz-assume-presidencia-do-quirguistao-apos-recusa-do-chefe-da-camara/. 15.10.2020. Acessado em 15.10.2020.
  4. "Kyrgyzstan: Amid unrest, Sadyr Zhaparov confirmed as new PM". www.aljazeera.com. 2020-10-14. Recuperado em 2020-10-14.